Ácidos: qual o melhor para o rosto?

ácidos

Durante muito tempo o uso dos ácidos foi segredo guardado a sete chaves entre farmacêuticos, químicos e dermatologistas. Hoje em dia, é comum que um cosmético eficaz tenha pelo menos um ácido na fórmula. Não à toa. Eles são matéria-prima essencial para a maioria dos tratamentos tópicos, seja em cosméticos ou no consultório, como é o caso dos peelings químicos. O motivo? “Quimicamente falando, são substâncias com diversas propriedades, assim denominadas por terem pH menor do que 7.0, que é bem próximo ao da pele. Justamente por serem compatíveis com a cútis é que promovem muitos benefícios”, explica João Carlos Lopes Simão, coordenador do ambulatório de cosmiatria do Hospital das Clínicas da USP, de Ribeirão Preto (SP). “O pH é a única característica comum aos ácidos, porque na prática eles têm funções diferentes como a de clarear, prevenir envelhecimento, combater oleosidade e até hidratar profundamente. Tudo depende de como são utilizados. O ácido glicólico e o salicílico, só para citar dois, podem ser usados em peelings, com um pH muito mais baixo do que o da pele, esse processo causa descamação e promove a renovação celular por efeito químico, que leva à produção de novo colágeno. Assim, dependendo da concentração dos ácidos e do ph da fórmula, podem ser tratados casos de envelhecimento avançado ou manchas resistentes, por exemplo”, completa o médico.

Nível de eficácia
As fórmulas manipuladas à base de ácidos, prescritas por um médico – por serem personalizadas de acordo com a necessidade da pele e poderem ter concentrações um pouco maiores do que os cosméticos prontos – são, sem dúvida, mais eficazes que os produtos industrializados, que, por sua vez, vale ressaltar aqui, também são eficazes e podem ser suficientes, dependendo da situação. “A eficácia de cada ácido depende de um conjunto de fatores, como concentração, veículo (se é creme, gel etc.) e o tipo de pele a ser aplicado. Cada paciente é um caso que deve ser avaliado individualmente”, explica o dermatologista Marcelo Bellini, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e membro da Academia Americana de Dermatologia. “As peles mais envelhecidas, por exemplo, por terem uma textura mais grossa, são mais resistentes aos ácidos. O importante é acompanhar a resposta de cada tratamento e se for o caso mudar a concentração ou o tipo de ácido, para obter melhores resultados”, acrescenta a dermatologista Samanta Nunes, de São Paulo.

Conheça os benefícios dos ácidos mais comuns
Entenda a diferença entre os ácidos mais utilizados, em tratamentos tópicos e industrializados, e saiba que benefícios cada um deles promove na pele:

Glicólico – Está contido nas fórmulas de diversos produtos de tratamento, tem a função de renovação celular, estímulo da produção de colágeno, atua no fechamento dos poros e revitaliza a pele.

Salicílico – É um dos mais antigos nas formulações da indústria cosmética. “Tem função queratolítica, que leva a uma descamação da camada superficial da pele promovendo a renovação celular. Também atua no controle da atividade da glândula sebácea, sendo muito útil para tratar pele oleosa ou com acne”, explica o dermatologista Marcelo Bellini. “Também tem indicação para manchas superficiais e poros dilatados”, acrescenta João Carlos.

Hialurônico – Na verdade, o ácido hialurônico é um componente natural da pele. “Aplicado topicamente proporciona hidratação, impedindo a perda de água pela cútis. Essa ação faz da substância um potente hidratante”, explica João Carlos. “Também é utilizado como ativo preenchedor, quando injetado, o que melhora o aspecto das rugas e da flacidez facial”, acrescenta Samanta Nunes.

Retinoico – Promove os mesmos efeitos do ácido glicólico, porém é mais potente. “É o ativo antienvelhecimento mais eficaz que existe. Age profundamente na pele, aumentando a produção de colágeno. Assim, melhora a aparência geral da pele, diminui as rugas, as manchas e melhora a textura de um modo geral”, pontua o dermatologista João Carlos, da USP. “Geralmente é associado a clareadores e muito usado nos peelings químicos”, lembra Samanta Nunes. Em tempo: por ser considerado um medicamento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), seu uso é controlado, portanto liberado para as fórmulas manipuladas, que têm prescrição médica, e para os tratamentos realizados em consultório. Produtos industrializados que contêm ácido retinoico também precisam de receita e acompanhamento médico.

Kójico – É um dos mais recentes usados pela indústria cosmética. “Sua função é clareadora, pois atua como um inibidor das etapas de formação da melanina”, esclarece Marcelo Bellini.

Ferúlico – Também é recente a utilização de seus benefícios em cosméticos. “É um agente antioxidante, previne o envelhecimento e ameniza a ação dos raios ultravioletas na pele”, resume João Carlos. A dermatologista Samanta Nunes completa: “É um dos ácidos mais suaves, indicado para peles jovens. Melhora o viço e a textura da pele”.

Fonte: Izabela Leal – Uol

Retexturing Activator, da SkinCeuticals: fórmula com ácido glicólico para combater os sinais do envelhecimento

Retinol, da SkinCeuticals: ácido retinóico com a vantagem de não irritar a pele como outros produtos do mercado.

Sérum antioxidante com 10% de vitamina C pura, phloretin e ácido ferúlico, da Skin Ceuticals: protege contra os radicais livres, previne e corrige os sinais do envelhecimento cutâneo.

Sérum antioxidante com 10% de vitamina C pura, phloretin e ácido ferúlico, da Skin Ceuticals: protege contra os radicais livres, previne e corrige os sinais do envelhecimento cutâneo.

Redermic, da La-Roche Posay: reduz as rugas, recupera a firmeza da pele, protege a pele do fotoenvelhecimento. Textura suave e aveludada com FPS 25. Aonde comprar: farmácias grandes ou pelo site da Dermadoctor.

Redermic, da La-Roche Posay: reduz as rugas, recupera a firmeza da pele, protege a pele do fotoenvelhecimento. Textura suave e aveludada com FPS 25. Aonde comprar: farmácias grandes ou pelo site da Dermadoctor.

Neostrata, creme forte à base de ácido glicólico: Elimina as células mortas da superfície da pele, favorecendo o aparecimento de uma pele suave, firme, flexível e luminosa. Amacia e suaviza a pele seca, melhorando sua textura. Reduz rugas profundas e a flacidez. Aonde comprar: Dermadoctor e farmácias.

Neostrata, creme forte à base de ácido glicólico: Elimina as células mortas da superfície da pele, favorecendo o aparecimento de uma pele suave, firme, flexível e luminosa. Amacia e suaviza a pele seca, melhorando sua textura. Reduz rugas profundas e a flacidez. Aonde comprar: Dermadoctor e farmácias.

Eluage, para a área dos olhos, da Avène: associação patenteada do Retinaldeido e do Acido Hialurônico fragmentado. Este gel reestruturante permite estimular a síntese de fibras de colágeno e de elastina na derme e aumentar a substancia fundamental de sustentação intra-dermica. Nas principais drogarias ou pelo site da Dermadoctor.

Eluage, para a área dos olhos, da Avène: associação patenteada do Retinaldeido e do Acido Hialurônico fragmentado. Este gel reestruturante permite estimular a síntese de fibras de colágeno e de elastina na derme e aumentar a substancia fundamental de sustentação intra-dermica. Nas principais drogarias ou pelo site da Dermadoctor.

Por dentro dos ácidos

Durante muito tempo o uso dos ácidos foi segredo guardado a sete chaves entre farmacêuticos, químicos e dermatologistas. Hoje em dia, é comum que um cosmético eficaz tenha pelo menos um ácido na fórmula. Não à toa. Eles são matéria-prima essencial para a maioria dos tratamentos tópicos, seja em cosméticos ou no consultório, como é o caso dos peelings químicos. O motivo? “Quimicamente falando, são substâncias com diversas propriedades, assim denominadas por terem pH menor do que 7.0, que é bem próximo ao da pele. Justamente por serem compatíveis com a cútis é que promovem muitos benefícios”, explica João Carlos Lopes Simão, coordenador do ambulatório de cosmiatria do Hospital das Clínicas da USP, de Ribeirão Preto (SP). “O pH é a única característica comum aos ácidos, porque na prática eles têm funções diferentes como a de clarear, prevenir envelhecimento, combater oleosidade e até hidratar profundamente. Tudo depende de como são utilizados. O ácido glicólico e o salicílico, só para citar dois, podem ser usados em peelings, com um pH muito mais baixo do que o da pele, esse processo causa descamação e promove a renovação celular por efeito químico, que leva à produção de novo colágeno. Assim, dependendo da concentração dos ácidos e do ph da fórmula, podem ser tratados casos de envelhecimento avançado ou manchas resistentes, por exemplo”, completa o médico.

Nível de eficácia
As fórmulas manipuladas à base de ácidos, prescritas por um médico – por serem personalizadas de acordo com a necessidade da pele e poderem ter concentrações um pouco maiores do que os cosméticos prontos – são, sem dúvida, mais eficazes que os produtos industrializados, que, por sua vez, vale ressaltar aqui, também são eficazes e podem ser suficientes, dependendo da situação. “A eficácia de cada ácido depende de um conjunto de fatores, como concentração, veículo (se é creme, gel etc.) e o tipo de pele a ser aplicado. Cada paciente é um caso que deve ser avaliado individualmente”, explica o dermatologista Marcelo Bellini, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e membro da Academia Americana de Dermatologia. “As peles mais envelhecidas, por exemplo, por terem uma textura mais grossa, são mais resistentes aos ácidos. O importante é acompanhar a resposta de cada tratamento e se for o caso mudar a concentração ou o tipo de ácido, para obter melhores resultados”, acrescenta a dermatologista Samanta Nunes, de São Paulo.

Conheça os benefícios dos ácidos mais comuns
Entenda a diferença entre os ácidos mais utilizados, em tratamentos tópicos e industrializados, e saiba que benefícios cada um deles promove na pele:

Glicólico – Está contido nas fórmulas de diversos produtos de tratamento, tem a função de renovação celular, estímulo da produção de colágeno, atua no fechamento dos poros e revitaliza a pele.

Salicílico – É um dos mais antigos nas formulações da indústria cosmética. “Tem função queratolítica, que leva a uma descamação da camada superficial da pele promovendo a renovação celular. Também atua no controle da atividade da glândula sebácea, sendo muito útil para tratar pele oleosa ou com acne”, explica o dermatologista Marcelo Bellini. “Também tem indicação para manchas superficiais e poros dilatados”, acrescenta João Carlos.

Hialurônico – Na verdade, o ácido hialurônico é um componente natural da pele. “Aplicado topicamente proporciona hidratação, impedindo a perda de água pela cútis. Essa ação faz da substância um potente hidratante”, explica João Carlos. “Também é utilizado como ativo preenchedor, quando injetado, o que melhora o aspecto das rugas e da flacidez facial”, acrescenta Samanta Nunes.

Retinoico – Promove os mesmos efeitos do ácido glicólico, porém é mais potente. “É o ativo antienvelhecimento mais eficaz que existe. Age profundamente na pele, aumentando a produção de colágeno. Assim, melhora a aparência geral da pele, diminui as rugas, as manchas e melhora a textura de um modo geral”, pontua o dermatologista João Carlos, da USP. “Geralmente é associado a clareadores e muito usado nos peelings químicos”, lembra Samanta Nunes. Em tempo: por ser considerado um medicamento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), seu uso é controlado, portanto liberado para as fórmulas manipuladas, que têm prescrição médica, e para os tratamentos realizados em consultório. Produtos industrializados que contêm ácido retinoico também precisam de receita e acompanhamento médico.

Kójico – É um dos mais recentes usados pela indústria cosmética. “Sua função é clareadora, pois atua como um inibidor das etapas de formação da melanina”, esclarece Marcelo Bellini.

Ferúlico – Também é recente a utilização de seus benefícios em cosméticos. “É um agente antioxidante, previne o envelhecimento e ameniza a ação dos raios ultravioletas na pele”, resume João Carlos. A dermatologista Samanta Nunes completa: “É um dos ácidos mais suaves, indicado para peles jovens. Melhora o viço e a textura da pele”.

Fonte: Izabela Leal – Uol

 

Retexturing Activator, da SkinCeuticals: fórmula com ácido glicólico para combater os sinais do envelhecimento

 

 

Retinol, da SkinCeuticals: ácido retinóico com a vantagem de não irritar a pele como outros produtos do mercado.

Cremes anti-idade: quando começar?

Tenho certeza que se alguém inventasse a máquina do tempo a maioria das mulheres ia querer uma em casa! Pois é… mas infelizmente não temos como… o jeito é investir em cremes preventivos o quanto antes, para retardar o aparecimento das linhas de expressão e rugas.

Mas a partir de qual idade eles são recomendados? Bem… para falar a verdade e embora muitas mulheres nem percebam, você já estava usando um anti-idade quando passava protetor solar para fazer castelinhos de areia… A melhor prevenção que há é o protetor solar diário, com fator 30 ou mais. Agora, para quem já tem algumas linhas ou rugas aparentes, qual a indicação? Bem, as opções são imensas e a melhor pessoa para combinar o princípio ativo ideal para o seu tipo de pele é o dermatologista. Pode ser ácido retinóico, ácido glicólico, vitamina C, lipossomas, descontratores, etc… Após os 25 anos, todas as mulheres começam a perder fibras de colágerno, momento ideal para começar a usar cremes mais concentrados e específicos. 

Não pensem em cremes milagrosos que fazem desaparecer as rugas. Isso não existe. Para rugas existem tratamentos muito mais eficazes (botox, tratamento à laser, ou até mesmo a cirurgia plástica). Creme algum elimina rugas, eles apenas melhoram a aparência delas e trazem mais viço à pele.

Selecionei aqui um vídeo da dermatologista Ligia Kogos, uma das mais conceituadas profissionais em São Paulo, para esclarecer essa dúvida.

Abaixo, seguem nossos cremes anti-idade queridinhos…

Beijos e boa semana!!!

Máscara para o rosto

Quem sofre com manchas na pele, perda de firmeza e linhas de expressão vai adorar esse produto. Minha dermatologista indicou, eu experimentei e adorei. Com ação antiaging, a Clarité Mask, da Dermage, melhora a textura e dá uma clareada nas manchas, porque contém ácido glicólico. Além disso, promete reduzir rugas e linhas finas de expressão, auxiliando ainda na limpeza da pele e na desobstrução dos poros, removendo as células mortas.

Eu tenho usado 2 vezes por semana, mas tenho a pele bastante oleosa. Pergunte à sua dermato qual a melhor periodicidade para você… se tiver a pele seca, não abuse!

Outra coisa fundamental: use um filtro solar depois, que tenha, no mínimo, fator 30, porque o ácido glicólico afina bastante a pele, deixando muito sensível à luz solar.

Para usar é fácil demais: aplique no rosto todo limpo, deixe secar, espere uns 15 minutinhos e vá tirando a máscara começando pelas beiradas.

É indicada para mulheres acima de 25 anos.

Se joguem!

Quanto custa: por volta de R$ 60,00

Aonde comprar: nas lojas Dermage, farmácias, ou pelo site da marca na internet.

Beijos

Máscara da Dermage, com ácido glicólico: pele lisinha e machas clareadas

Antioxidante top!

Olá meninas!

Nós já publicamos um post sobre as maravilhas da Vitamina C, indicando algumas opções para serem usadas sob a maquiagem durante o dia. Mas quero destacar um produto em específico, que tenho usado e vejo realmente resultados excelentes na minha pele, que é o Phloretin CF, da Skin Ceuticals. Em 2010, a SkinCeuticals, uma marca de dermo-cosméticos famosa nos Estados Unidos por suas pesquisas científicas e produtos de eficácia comprovada, chegou ao Brasil… para a nossa felicidade! A linha completa ainda não está disponível aqui, mas a empresa informou que planeja trazer os produtos aos poucos para o nosso mercado. Daqueles disponíveis, estou usando quase todos os “serums” e suuuuper recomendo, são realmente incríveis e você sente a diferença logo na primeira aplicação. Aqui vai um breve descritivo do Phloretin CF e o preço médio que encontrei:

Phloretin CF: Contém uma potente combinação de antioxidantes, incluindo 10% de vitamina C pura. Apesar do frasco pequeno (30ml), você deve usar, no máximo, 4 gotas em cada aplicação, o que faz render horrores. Eu uso no rosto durante o dia, antes de aplicar o filtro solar. É recomendado para peles oleosas por ter textura ultra-fina. Quem tem a pele seca também tem gostado bastante, mas a empresa oferece outra opção (já disponível no Brasil) que é o CE Ferulic.
 
Preço: de R$290,00 a R$360,00 (apesar de caro, rende muito e o efeito é bárbaro).
 
Aonde comprar: Drogaria Iguatemi (enviam para todo o Brasil), DermExpress (www.dermexpress.com.br), Médica Cosméticos ou Dermadoctor.